O incessante rugido: Robert Plant e o mainstream interseccional

Fábio Cruz, Guilherme Curi

Resumo


Neste artigo, propomos um estudo sobre a carreira do cantor inglês Robert Plant com relação a aspectos inerentes ao mundo da música popular massiva (JANOTTI JUNIOR, 2006; 2007). Classificado como um artista “mainstream interseccional”, assim proposto pelos autores, Plant personifica a autenticidade do rock ao mesmo tempo em que sustenta a tradição dos seus tempos como vocalista do extinto grupo Led Zeppelin e ao buscar uma autonomia criativa em cada trabalho. Não obstante, está imerso aos ditames mercadológicos que envolvem o cenário musical. Para discutir essas questões, adotamos como corpus analítico os dez trabalhos solo do músico, os quais englobam um período que tem início em 1982, com Pictures at eleven, e vai até a sua última produção, Lullaby and...The ceaseless roar, lançado em 2014.
Palavras-chave: rock, música popular massiva, mainstream, criatividade, mercado e consumo.


Palavras-chave


rock, música popular massiva, mainstream, criatividade, mercado e consumo.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, G. O que é o Contemporâneo? E outros ensaios. Chapecó: Argos Editora, 2009.

BENJAMIN, W. Obras escolhidas: magia, técnica e política. São Paulo: Brasiliense, 1994.

BORGES, J. L. Historia de la etenridad. Buenos Aires: Debolsillo, 2011.

BREAM, J. Whole lotta Led Zeppelin: a história ilustrada da banda mais pesada de todos os tempos. Rio de Janeiro: Agir, 2011.

CURI, G. The music from the sea: social and cultural aspects on the creation of jazz and samba. Dissertação de mestrado. Dublin: University College Dublin, 2006.

COUTINHO, E. G. Velhas histórias, memórias futuras: o sentido da tradição em Paulinho da Viola. Rio de Janeiro: UERJ, 2002.

DOURADO, H. A. Dicionário de termos e expressões musicais. São Paulo: 34, 2004.

JUNIOR, J.; CARDOSO FILHO, J. A música popular massiva, o mainstream e o underground: trajetórias e

caminhos na cultura midiática. In: JANOTTI JUNIOR, J.; FREIRE FILHO, J. Comunicação & música popular

massiva. Salvador: EDUFBA, 2006.

HALL, S. Da Diáspora: identidades e mediações culturais. Organização Liv Sovik. Belo Horizonte: Editora

UFMG; Representação da UNESCO no Brasil, 2003.

HERSCHMANN, M; TOTTA, F. Memória e legitimação do samba & choro no imaginário nacional. In: Mídia e

Memória: a produção de sentidos nos meios de comunicação. 1 ed. Rio de Janeiro: Mauad X, 2007, v.1, p. 71-

JANOTTI JUNIOR, J. Mídia popular massiva e comunicação: um universo particular. In: INTERCOM –

Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 30, Santos, 2007. Anais eletrônicos do XXX Congresso

Brasileiro de Ciências da Comunicação: mercado e comunicação na sociedade digital. São Paulo: Intercom,2007. Disponível em <http://www.intercom.org.br/papers/nacionais/2007/resumos/R1144-1.pdf> Acesso em: 18

jul. 2015.

REES, P. Robert Plant: uma vida. São Paulo: LeYa, 2014.

REY, L.; PHILIPE, G. Livro negro do rock: o dicionário do heavy metal. São Paulo, Somtrês, 1984.

THOMPSON, J. Ideologia e cultura moderna: teoria social crítica na era dos meios de comunicação de massa.

Petrópolis: Vozes, 1995.

WALL, M. Led Zeppelin: quando os gigantes caminhavam sobre a terra. São Paulo: Larousse do Brasil, 2009.

WELCH, C. Tesouros do Led Zeppelin. São Paulo: Lafonte, 2012.

WILLIAMSON, N. O guia do Led Zeppelin. São Paulo: Aleph, 2011.WISNIK, J. M. O som e o sentido: uma

outra história das músicas. São Paulo: Companhia das Letras, 2006


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Os artigos publicados nesta revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.