A crise ambiental no jornalismo de economia e negócios: da natureza deslocada à fantasia sustentável

Vinicius Prates

Resumo


O objetivo deste artigo é investigar como os dispositivos mediáticos brasileiros da era da superprodução semiótica tematizam a “sustentabilidade ambiental”. Analisa as três principais revistas brasileiras de negócios, Exame, IstoÉ Dinheiro e Época Negócios, para compreender como elas lidam com a tensão entre os discursos ambientalistas e os seus contratos de comunicação, baseados nos objetos de valor do liberal-capitalismo. O sistema deixa ideologicamente de ser o causador da crise ambiental no presente para tornar-se o propiciador de um mundo verde e limpo no futuro. A análise foi feita com o apoio nas teorias do discurso pós-estruturalistas.

Palavras-chave


Jornalismo especializado; sustentabilidade; ambientalismo; inversão sintomal

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Os artigos publicados nesta revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.