Ressonâncias do vazio na obra fílmica One11 and 103 de John Cage

Maria Aparecida Ortegosa

Resumo


O presente artigo parte de estudos do filme One11 and 103 (1991 – 1992) do músico e videoartista John Cage e pretende investigar e refletir sobre novas formas de comunicação e estética no audiovisual. A obra de Cage promove uma renovação da linguagem a partir da subversão dos códigos nas estruturas espaço-temporais. A imagem (luz) sem referenciais figurativos ou miméticos segue o fluxo do movimento contínuo com o som. Deste modo, a composição óptica sonora (audiovisual) de Cage promove a sensação de vazio de modo visceral.

Palavras-chave


Comunicação, estética, audiovisual, vazio.

Texto completo:

PDF

Referências


ADORNO, T. W. Filosofia da nova música. Tradução de Magda França. São Paulo: Perspectiva, 2009.

BERGER, J. Modos de ver. Lisboa: Edições 70, 1972, p. 20.

CAGE, J. Visual Art. Jonh Cage en coversación con Joan Retallack. Tradução de Sebastián Jatz Rawicz. Santiago de Chile: Ediciones Metales Pesados, 2011.

CAGE, J. Silencio. Tradução de Marina Pedraza. Madrid: Árdora Ediciones, 2007a.

CAGE, J. Escritos al Oído. Tradução de Carmen Pardo. Murcia: Colegio Oficial de Aparejadores y Arquitectos Técnicos de la Región de Murcia, 2007b.

CANDÉ, R. História universal da música. São Paulo: Martins Fontes, 2001, v. 2. Tradução Marina Appenzeller.

CHION, M. La audiovisión. Introducción a un análisis conjunto de la imagem y el sonido. Tradução de Antonio Lópes Ruiz. Ediciones Paidós Ibérica, S.A, 1993.

CHION, M. El sonido. Tradução de Enrique Folch González. Barcelona: Editorial Paidós, 1999.

DE BEHAR, L. B. Una retorica del silencio. Funciones del lector y procedimientos de la lectura literaria. México: Siglo XXI Editores, 1984.

JACOBS, A. Dicionário de Música. Lisboa: Publicações Dom Quixote, 1978.

MOSCARIELLO, A. Como ver um filme. Lisboa: Editorial Presença, 1985.

MORAES, J. J. O que é música. São Paulo: Editora Brasiliense, 1983.

RODRIGUEZ, A. A dimensão sonora da linguagem audiovisual. São Paulo: Editora Senac, 2006.

RUSH, M. Novas mídias na arte contemporânea. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

SCHAFER, M. A afinação do mundo. Tradução de Marisa Trench Fonterrada. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

SCHAFER, M. O ouvido pensante. Tradução de Marisa Trench Fonterrada, Magda R. Gomes da Silva, Maria Lúcia Pascoal. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

SCHOENBERG, A. Harmonia. São Paulo: Editora UNESP, 2001.

PEIRCE, C. S.; FREGE, G. Sobre a justificação científica de uma conceitografia: os fundamentos da aritmética. Tradução de Luís Henrique dos Santos. São Paulo, Abril Cultural, 1980.

TERRA, V. Acaso e aleatório na música: um estudo da indeterminação nas poéticas de Cage e Boulez. São Paulo: Educ/Fapesp, 2000.

WISNIK, J. M. O som e o sentido: uma outra história das músicas. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Os artigos publicados nesta revista estão licenciados com uma Licença Creative Commons Atribuição-NãoComercial-CompartilhaIgual 4.0 Internacional.